sábado, 18 de setembro de 2010

Regando o amor...



"CUIDA DE MIM
ENQUANTO NÃO ME ESQUEÇO DE VOCÊ!!!"

(Fernando Anitelli - O Teatro Mágico)


Minha mãe era um pessoa que gostava muito de plantas...
Ela tinha VÁRIAS!!!!
Eu costumava dizer que a casa dela perdia para a Amazônia de tantas plantas, flores, hortas que havia lá!
E me lembro do ritual que ela fazia todas as manhãs: ia de vaso em vaso, regar e 'bater um papinho' com as suas plantinhas. Era o maior amor do mundo.
Regava, tirava as ervas ou bichos que ameaçavam a vida da plantinha, tirava do Sol quando este estava muito forte...só cuidados.
Minha mãe nunca deixou uma plantinha sua morrer ou secar.
Eu ficava impressionada com aquilo.
Com o amor e com a paciência que ela dispensava para o seu jardim.
E hoje, me lembrando disso, me dei conta que o amor, a amizade, são plantas no jardim.
Da mesma forma que as plantinhas da miha mãe, precisavam da sua rega diária, também é preciso regar os sentimentos.
É preciso gotas diárias de cuidados para que a nossa plantinha interna sobreviva.
Pequenos gesto de carinho mostram que somos flores importantes na vida das pessoas.
Não consigo manter minhas folhas verdes quando alguém sequer me olha.
O meu amor vai morrendo, secando...
A planta do amor gosta de atenção, companhia, cuidados, mimos e carinhos.
Não dá pra cuidar de uma planta á distância.
Os sentimentos também não sobrevivem a distância.
Com o tempo, a falta de con(tato) vai fazendo a semente morrer.
Fico triste quando não recebo minha rega diária.
E vejo o sentimento secando dentro de mim por falta dela.
Mas a escolha não é minha.
Regar o sentimento é uma via de mão dupla.
Não posso fazer força para sobreviver quando na outra via, o cuidado não vem; quando o jardineiro não faz questão da minha existência.
Mas, EU TENHO CERTEZA de que quando essa plantinha morrer, ele vai ficar triste.
Quem sabe até se culpar...
Aí já vai ser tarde demais.
Plantas e sentimentos não renascem!!!

3 comentários:

Zilda Santiago disse...

Belo texto!!!Parabéns pela postagem.

Controvento-desinventora disse...

Adorei!

Não me perder em minha vida disse...

Minha mãe também adora e cuida das plantas, ela cuida também dos relacionamentos vive até hoje com meu pai. Eu, meu jardim esta cheio de ervas daninhas crescendo mato se confundindo com as flores, meus relacionamentos acabaram se todos. Não sei se começo cuidar das plantas ou de mim.