quinta-feira, 29 de abril de 2010

"VEM DE REPENTE, UM ANJO TRISTE PERTO DE MIM..."




"A VIDA NÃO É TRISTE. TEM HORAS TRISTES."

(Romain Rolland)



Odeio quando a tristeza chega assim de repente.
Chega metendo o pé na porta, entrando sem ter sido convidada,
bagunçando minhas gavetas e papéis.
Ela senta no sofá, coloca as pernas sobre a mesa e me olha com uma cara de deboche que só me faz ter vontade de chorar.
Me intimida e me faz ter vontade de sentar no chão, no canto da parede, encolhida.
Encolhida de medo.
De carência.
De saudade.
De vontade.
De choro.
De amor.
Com a alma encolhida.
Uma alma com asas, encolhida pela tristeza.
Uma alma colorida, cheia de luz, presa como que em um frasco de vidro, como aqueles vagalumes brilhantes que a gente captura quando criança.

Mas sei que a sina do vagalume, livre ou preso em um pote, é iluminar a escuridão.
Sei disso!
Iluminar a escuridão...De fora ou de dentro!

Ás vezes é preciso permitir-se a tristeza...
A tristeza também tem o poder de vagalume:
iluminar partes da gente que se ficarem sempre na escuridão,
não nos dá a oportunidade de limpar as teias de aranha da alma, do coração.
Essa luz nos permite ver coisas que nem sempre enxergamos...
Nos permite expulsar os fantasmas de dentro da gente.

Por isso, vou ficar aqui, quietinha no meu canto de parede, sentada no chão.
Até a faxina interna terminar...

2 comentários:

Rafaelle Costa disse...

Gostei do texto. Realmente esses momentos vem e passam, como tudo na vida, ainda bem que eles nos deixam belos textos ou poesias...

Talita disse...

Amei seu poste, realmente existe momentos que a tristeza aperta no peito, mais depois que eles passam nos sentimos mais fortes para continuar vivendo..
Lindo seu blog..